Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Um dia com colite ulcerosa

O drama diário de quem tem DII, doença inflamatória intestinal

Um dia com colite ulcerosa

O drama diário de quem tem DII, doença inflamatória intestinal

Yoga vs colite

Durante estes dois ultimos anos passados em crise, em internamentos, e de procura por melhorias na minha saude eis que experimento o ioga, e foi paixão logo na primeira aula.

Antes de conhecer o yoga passei por psiquiatra, psicologo, hipnoterapia, psicoterapia e mais se houvessem, a verdade é que todos me fizeram bem a curto prazo, mas não sou muito de falar e muito menos quando é sobre mim e os meus problemas e desisti de todos eles.

No ioga, encontrei aquilo de que necessito, exercito o corpo e ao mesmo tempo trabalho a mente, o foco e a meditação. Assim á primeira vista parece uma coisa muito chata e parada, mas na verdade é muito mais que isso. O ioga tanto ajuda a tonificar os musculos, como tem o poder de acalmar a mente, devolve-nos a mobilidade articular e estabiliza as emoções. Pode parecer facil, mas digo-vos que de facil não tem nada. Desafio-vos a fazer um pequeno exercicio: experimentem ficar de pé, descalços, com os pés juntos e os calcanhares tambem, encostar os braços ás pernas com as palmas das maos viradas para a pernas, agora fechem os olhos e concentrem-se na vossa respiração, façam isto durante 2 minutos. Só isto! Vão ter a sensação de desiquilibrio e a vossa mente a andar a mil á hora. o ioga ajuda-nos a ficar mais calmos, menos irritados... e mais não digo, experimentem! :)

 O ioga ajuda-nos a manter o foco no aqui e agora, porque a verdade é que vivemos numa sociedade que exige muito de nós, temos que ser bons empregados, bons colegas, bons filhos... fomos educados durante a escola a sermos os melhores. A competição passou a ser o foco da sociedade e a olhar sempre para o futuro e a lamentarmo-nos do passado, e de certeza que todos nós já dissemos e pensámos na frase "se eu soubesse o que sei hoje..." e no fim de contas acabamos por não viver o presente. Se pararmos um bocadinho e pensarmos sobre o assunto, não acham que ja nos assemelhamos a robots, temos praticamente todos os minutos do dia controlados e não é por nós,  é pela sociedade em que vivemos... e onde é que vamos buscar o prazer? Aos bens materiais... E quando não possuimos o que desejamos, invejamos o vizinho, o amigo, o familiar... Pensem nisto! Mas isto é outro tema para conversa :)

 

Por este motivo cada vez mais acredito que as doenças são como um alerta de que não estamos a viver da forma correcta, é um aviso pouco simpatico do nosso corpo, para nos mostrar que temos que mudar de rumo.

Todos nós que padecemos de dor crónica esta é a minha mensagem: não desistam, existem alternativas para melhorar a nossa qualidade de vida. Já que somos fortes para viver com dores 24 horas por dia, 7 dias por semana, vamos acreditar que somos mais fortes que essa dor.