Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Um dia com colite ulcerosa

O drama diário de quem tem DII, doença inflamatória intestinal

Um dia com colite ulcerosa

O drama diário de quem tem DII, doença inflamatória intestinal

Como sobreviver ás Festas

imagesCA6XX7EG.jpgAdoro festas, adoro ir a festas, adoro fazer festas, para mim todos os motivos são validos para reunir as pessoas que mais gosto e com elas passar bons momentos, mas desde que adoeci a vontade para socializar é nenhuma. Só a ideia de ter que sair de casa é na realidade um momento de ansiedade e de muito esforço fisico.

O que para muitas mulheres sair é sinonimo de usar aquele vestido novo, aqueles sapatos bem altos e uma maquilhagem perfeita, para mim neste momento sair é: A que horas é o jantar? Onde? Conheço o sitio? Se sim, ok sei onde fica o wc, se não, mais um problema que se instala na lista do que preciso ter sob controlo; Quem vai? Vou com quem?Neste momento sair sozinha para um evento social ate mesmo familiar é um verdadeiro drama, emocionalmente é muito desgastante. Falta a comida, sempre fui uma "pisca" para comer, então agora nem se fala, a falta de apetite é uma constante, mas quando saio para comer fora a tentação por aquilo que me faz mal é enorme.

Após processar toda a informação acerca do evento segue-se o proximo passo, preparar-me com antecedencia. Determino a hora em que vou tomar banho, depois do banho um descanço no sofa para recarregar energias, a seguir secar o cabelo, felizmente que agora é curto, mais uma pausa, segue-se a roupa, estou doente mas continuo igualmente vaidosa, perco mais um tempo a decidir o que vestir mas agora a prioridade é vestir algo confortavel e o sapatinho o mais raso possivel, porque as energias esgotam-se rapido. Mais uma pausa e recarregar a bateria o maximo possivel ate sair de casa. Antes de sair verifico se tenho comigo o kit sos. ok, estou pronta.

Proximo passo, socializar.

É tão cansativo, eu quero realmente estar ali socializar, conversar, rir, mas na verdade estou sempre mortinha por voltar para casa.

Não quero parecer que estou aborrecida e que não quero lá estar, mas o cansaço facilmente se apodera de mim,  por vezes sabe bem simplesmente estar quieta no meu canto a observar, faz me sentir parte daquele momento.

A maratona da ida á casa de banho é uma constante, e no meio disto tudo é o que mais cansa, dejecções a toda hora, conseguem por me de rastos.

Para finalizar,a mesa no natal estava bem composta, não me privei de quase nada, provei um bocadinho de tudo, vamos ver como correm os proximos dias.

 

Continuação de boas festas! :)